Baptistella Alimentos Soluções completas para industria de alimentos

Minhas Compras
Você adicionou a sua lista de compras. O que deseja fazer agora?
Continuar comprando Fechar compra

Conheça todos os nutrientes do milho

Conheça todos os nutrientes do milho

Compartilhar:

Embora tenha perdido espaço na nossa cozinha habitual, o milho representa cerca de 40% de toda a safra nacional de grãos. O Brasil é o terceiro maior produtor mundial, só atrás da China e dos Estados Unidos. Aqui, seu cultivo perde apenas para o da soja. A maior parte se destina à ração animal e à indústria.

Mas, a julgar pelos nutrientes embalados na palha, é uma injustiça esse símbolo da cozinha caipira ter perdido lugar no cardápio. “O milho é fonte saudável de energia porque possui carboidrato complexo, absorvido lentamente na corrente sanguínea. Isso evita picos de açúcar e faz o corpo gastar mais calorias para aproveitá-lo”, elogia a médica Marcella Garcez Duarte, da Associação Brasileira de Nutrologia.

O alimento também reúne proteína. Inclusive, se for combinado com uma leguminosa, como feijão ou lentilha, fornece todos os aminoácidos essenciais de que o corpo precisa para formar músculos, cabelos, unhas, hormônios e anticorpos. Traz um pouco de gordura, mas do tipo benéfico, o suficiente para transportar sua vitamina E, bem-vinda ao coração, por exemplo.

Ainda vem com fibras, que estimulam o trabalho do intestino, melhoram o controle do colesterol e do açúcar no sangue e dão saciedade. “Ele pode inclusive fazer parte de uma dieta de emagrecimento. Basta que ocupe o lugar de outras fontes de carboidrato, como arroz, batata e massas”, diz Marcella.

Isso vale também para a pipoca preparada na panela. Para ter ideia, 100 gramas do cereal permitem fazer um pote cheio, com 150 calorias e fibras suficientes para matar a fome. Só não vale abusar do óleo nem do sal.

O milho concentra ainda vitaminas do complexo B, como a B1, que é essencial para o bom humor, além de minerais, a exemplo de magnésio, potássio, fósforo e cobre, que participam de várias funções no organismo — incluindo o controle da pressão arterial. Um grande atrativo é a presença de antioxidantes, capazes de deter os radicais livres, moléculas instáveis que agridem as células e favorecem doenças.

O destaque do grupo são os carotenoides, mais especificamente betacaroteno, luteína e zeaxantina — eles que colorem os grãos de amarelo, laranja e vermelho. “Quanto mais intensa a cor, maior o teor desses ingredientes”, ressalta Marcella. Um combo de respeito.

Não por acaso, cientistas da Universidade Cornell, nos Estados Unidos, descobriram, em estudo divulgado ano passado, que a seleção de fitoquímicos e nutrientes do milho está associada a um menor risco de doenças cardiovasculares, diabetes tipo 2 e obesidade, especialmente quando ele integra uma dieta rica em frutas e verduras.

O grão ainda melhora a saúde digestiva. Por não conter glúten, é ótima pedida para quem tem doença celíaca ou é intolerante a essa proteína, comum no trigo, na cevada e no centeio.

Fonte: https://saude.abril.com.br/

Promoções e novidades!